A volta do gradiente? - Avant Soluções

A volta do gradiente?

A volta do gradiente?

Recentemente, o Instagram mudou seu logo para um logo flat e com fundo gradiente mas antes do Instagram a Oi mudou também sua identidade já utilizando o gradiente. Mas será que o gradiente vai ser tendência agora?

O Instagram dispensa apresentações, desde de 2010 veem ganhando novos usuários a cada ano principalmente por ser uma rede social de interface simples e timeline altamente visual. Com 200 milhões de usuários online todos os dias (veja bem, usuários online, esse número é bem pequeno quando comparado com o total de usuários da ferramenta), o Instagram decidiu mudar seu logotipo, repaginar o visual olhando para o futuro.

Uma das falas do Chefe de Design do Instagram foi:

Para manter a gravidade do ícone anterior, tivemos que descobrir como dar a nova marca mais carácter ao mesmo tempo, removendo o que era desnecessário.

Depois de muitas conversas e ideias, chegamos em uma marca que ainda sugere uma câmera, mas também estabelece as bases para os anos futuros.

Ian Splater, Chefe de Design do Instagram, ao Medium.

Como dito acima, o ícone ficou flat. Removeu tudo o que era desnecessário e ficou simples e usual.

 

Veja abaixo como foi o processo de criação para o novo ícone:

Agora, veja a nova marca da OI e perceba que também existe o flat e o gradiente:

Logo Oi

As agências que trabalharam na nova marca foi a Wolff Olins e FutureBrand. E desenvolveram 70 variações de logo! Com base no tom de voz de pronuncias de certas palavras e cores de acordo com a ideia de que se quer passar.

Exemplo de usabilidade:

 

Que o flat design está ai ninguém discorda, basta abrir uma página de internet ou até mesmo sua loja de aplicativos no celular e ver que a maioria dos Apps já aderiram a tendência. Mas falar que o gradiente pode voltar ainda é muito cedo. Temos que esperar um tempo para ver o que grandes empresas e grandes agências de publicidade têm a oferecer a isso. Mas principalmente saber qual é a dificuldade de usar o gradiente nos dias de hoje, pois antigamente um ponto que não ajudava era o tamanho e qualidade da tela que era exibida a arte.

 


 

 

Volte para o blog