Arquivos Blog - Avant Solucoes
Fim do emissor gratuito da NF-e. Você está preparado?

Fim do emissor gratuito da NF-e. Você está preparado?

Sua empresa precisa estar preparada

A Receita Federal informa que a partir de janeiro/2017 o emissor de NFe será descontinuado, fazendo que os sistemas de mercado precisem ter seu próprio emissor de NFe Integrado.

“Com a gradual adesão das empresas aos sistemas de documentos eletrônicos, o Fisco Paulista verificou que a maioria dos contribuintes deixou de utilizar o emissor gratuito e optou por soluções próprias, incorporadas ou personalizadas a seus sistemas internos.  No mercado há muitas opções de emissores, alguns deles com uma versão básica gratuita.[…]”

Confira aqui a nota completa da SEFAZ -SP.

Vale dizer, que a nota é da SEFAZ-SP, mas a medida é para todo território nacional, uma vez que o sistema de São Paulo é utilizado por todos.

O que fazer?

Sendo assim, a receita federal aconselha que todos os usuários procurem outras soluções disponíveis no mercado ou o desenvolvimento próprio.
Embora a medida só começará a partir de 01/01/2017, procure a melhor solução para sua empresa agora, emissão de documentos fiscais para sua empresa agora. Dessa forma, para quem usa os emissores do governo, é melhor agir rápido, pois sem emissão de NF-e não terá faturamento.

 

Banner_nfe

Treinamento de NFe 3.1

Como nosso treinamento de emissão de nota fiscal eletrônica atualizado, é possível integrar aplicações desenvolvidas com Scriptcase em minutos de maneira fácil e simples.

Confira detalhes do treinamento

Sistemas personalizados

É possível também desenvolver um sistema financeiro completo e adequado para o seu negócio, confira nosso serviço de desenvolvimento.

Qual a diferença entre Front-end e Back-end?

Qual a diferença entre Front-end e Back-end?

Existem dois tipos de linguagens para programação web, as linguagens Front-end e as linguagens Back-end. Algumas das pessoas da área de desenvolvimento até preferem usar outros termos, client-side para se referir ao front-end e server-side para se referir ao back-end. Neste post iremos explicar qual é qual e para que serve cada tipo de linguagem.

Qual a diferença entre Front-end e Back-end?

As linguagens back-end/server-side são linguagens que o servidor irá interpretar. Isso significa que ao escrever um código e envia-lo ao servidor o mesmo irá processar todo o código e vai mandar a resposta desse código para o navegador onde será exibida.

As linguagens front-end/client-side são linguagens onde o seu navegador irá interpretar e exibir os resultados, sem adição de outro componente.

Exemplo: Ao criar um código em linguagem back-end que apenas calcula a soma de duas variáveis, será o Servidor que calculará este resultado. E se fizermos esse mesmo calculo porém utilizarmos uma linguagem front-end quem calculará esse calculo é o navegador do usuário.

frontend-e-backend

Por isso profissionais desenvolvedores que trabalham na interface do usuário são chamados de Desenvolvedores Front-end, e aqueles que trabalham atrás da aplicação, ou seja, desenvolvendo comandos que somente o servidor irá interpretar são chamados de Desenvolvedores Back-end.

Exemplos de linguagens

Essas são linguagens Front-end:

  • HTML (xHTML, HTML4, HTML5…)
  • CSS (CSS2.1, CSS3…)
  • JavaScript

E essas são exemplos de linguagens Back-end:

  • PHP
  • ASP
  • Java
  • Ruby
  • Python

 

 

Volte para o blog


 

Como implementar o Google Fonts no Scriptcase

Como implementar o Google Fonts no Scriptcase

Para aqueles que não conhecem, o Google Fonts é um serviço da própria Google que disponibiliza fontes gratuitas desde conhecidas, como algumas que nunca ouvimos falar. Com o Google Fonts temos a opção de fazer o download da fonte para instalar localmente ou, o melhor, importar em uma aplicação ou sistema, assim, basta a aplicação ter acesso a internet para conseguir importar a fonte de qualquer computador.

Um dos benefícios além de ter uma variação de fonte é que seu sistema fica mais leve, pois a fonte não está diretamente instalada no servidor onde está aplicação. Mas cuidado, mesmo importando fontes de outro lugar, não escolha muitas opções, lembre-se que a importação também pode levar tempo e isso pode afetar o desempenho de sua aplicação.

Como implementar o Google Fonts no Scriptcase:

Acesse o Google Fonts: https://fonts.google.com/

Escolha a fonte mais adequada ao seu projeto, e clique no sinal de “adição”:

google-fonts-1

Escolha a fonte mais adequada ao seu projeto, e clique no sinal de “adição”:

(Dica) Para saber como determinada frase ou expressão ficaria com todas as fontes exibidas, faça o seguinte:

2.1 – Selecione qualquer fonte, e clique para apagar a atual frase. Logo depois escreva sua expressão:

 

google-fonts-2

Selecione qualquer fonte, e clique para apagar a atual frase. Logo depois escreva sua expressão:

 

2.2 – E para aplicar essa frase em todas as outras e assim conseguir uma breve visualização de como no seu projeto irá ficar, basta clicar em “apply to all” e assim ele irá aplicar em todas:

E para aplicar essa frase em todas as outras e assim conseguir uma breve visualização de como no seu projeto irá ficar, colocar o mouse na fonte e clicar em “apply to all” e assim ele irá aplicar em todas:

 

Depois de selecionada sua opção de fonte clicando no sinal de “adição”, irá surgir uma janela minimizada, abra-a:

Depois de selecionada sua opção de fonte clicando no sinal de “adição”, irá surgir uma janela minimizada, abra-a:

Nesta tela você consegue visualizar algumas opções:

A) As fontes selecionadas

B) Opção de “preview” – para visualizar mais detalhes da fonte

C) Opção de download da fonte, para baixa-la e instalar localmente.

D) Loadtime- O desempenho que pode causar em sua aplicação:

Fast – Rápido – Sem complicações com o desempenho;

Moderate – Moderado – Pode ter algum problema de desempenho, mas nada tão preocupante;

Slow – Devagar – O desempenho do seu sistema será influenciado. Tente diminuir a quantidade de fontes selecionadas ou mesmo suas variações.

E) Customize – Customizar – Nesta aba, você pode selecionar variações da fonte, como, bold para uma fonte mais grossa ou light para uma fonte mais fina.

Selecione a opção que deseja fazer a importação da fonte, no nosso caso, vamos utilizar a opção @IMPORT:

Selecione a opção que deseja fazer a importação da fonte, no nosso caso, vamos utilizar a opção @IMPORT:

Este será o código que vamos utilizar para importar a fonte dentro do CSS da aplicação.

E agora que temos o código, vamos para o Scriptcase.

 

 

Para utilizar nossa fonte, vamos criar uma tela de controle com 3 campos texto e uma imagem. Vamos abrir o evento onLoadAll.

Vamos abrir as tags <style></style> e acrescentar o código de importação (não esquecendo das tags php):

?>

<style>

@import 'https://fonts.googleapis.com/css?family=Baloo';
</style>

<?php

No título da aplicação, vamos acrescentar uma tag <span></span> com uma classe “font-baloo” seguido do texto que desejar:

google-fonts-8

No título da aplicação, vamos acrescentar uma tag com uma classe “font-baloo” seguido do texto que desejar:

<span class="font-baloo"> Avant Soluções Blog</span>

Desta forma, podemos modificar o elemento de acordo com a classe.

Novamente no evento onLoadAll, acrescente o código que faz a alteração na fonte de acordo com o elemento class:

?>

<style>

@import 'https://fonts.googleapis.com/css?family=Baloo';

span.font-baloo {

font-family: 'Baloo', cursive;

}

</style>

<?php

 

Pronto! Agora use sua criatividade e crie aplicações com muito mais desempenho e com um design diferente.

Veja como ficou nossa tela:

google-fonts-10

Tela final. Fonte utilizada: Baloo


 

Volte para o blog

 
 

A volta do gradiente?

A volta do gradiente?

Recentemente, o Instagram mudou seu logo para um logo flat e com fundo gradiente mas antes do Instagram a Oi mudou também sua identidade já utilizando o gradiente. Mas será que o gradiente vai ser tendência agora?

O Instagram dispensa apresentações, desde de 2010 veem ganhando novos usuários a cada ano principalmente por ser uma rede social de interface simples e timeline altamente visual. Com 200 milhões de usuários online todos os dias (veja bem, usuários online, esse número é bem pequeno quando comparado com o total de usuários da ferramenta), o Instagram decidiu mudar seu logotipo, repaginar o visual olhando para o futuro.

Uma das falas do Chefe de Design do Instagram foi:

Para manter a gravidade do ícone anterior, tivemos que descobrir como dar a nova marca mais carácter ao mesmo tempo, removendo o que era desnecessário.

Depois de muitas conversas e ideias, chegamos em uma marca que ainda sugere uma câmera, mas também estabelece as bases para os anos futuros.

Ian Splater, Chefe de Design do Instagram, ao Medium.

Como dito acima, o ícone ficou flat. Removeu tudo o que era desnecessário e ficou simples e usual.

 

Veja abaixo como foi o processo de criação para o novo ícone:

Agora, veja a nova marca da OI e perceba que também existe o flat e o gradiente:

Logo Oi

As agências que trabalharam na nova marca foi a Wolff Olins e FutureBrand. E desenvolveram 70 variações de logo! Com base no tom de voz de pronuncias de certas palavras e cores de acordo com a ideia de que se quer passar.

Exemplo de usabilidade:

 

Que o flat design está ai ninguém discorda, basta abrir uma página de internet ou até mesmo sua loja de aplicativos no celular e ver que a maioria dos Apps já aderiram a tendência. Mas falar que o gradiente pode voltar ainda é muito cedo. Temos que esperar um tempo para ver o que grandes empresas e grandes agências de publicidade têm a oferecer a isso. Mas principalmente saber qual é a dificuldade de usar o gradiente nos dias de hoje, pois antigamente um ponto que não ajudava era o tamanho e qualidade da tela que era exibida a arte.

 


 

 

Volte para o blog